21 de janeiro de 2015

“Relatio Synodi” um ano para amadurecer...


A santa Sé, tornou público no passado mês a “Relatio Synodi”, documento com o qual encerraram os trabalhos sinodais, em Outubro passado. Este mesmo documento - a “Relatio Synodi” que ao longo do ano vai ser enriquecido, ampliado e amadurecido com o contributo das Igrejas locais, constituirá o Instrumentum Laboris, para a IV Assembleia Geral Ordinária do Sínodo dos Bispos, que vai decorrer de 4 a 25 de outubro de 2015, sob o tema “A vocação e a missão da família na Igreja, no mundo contemporâneo”.
O documento contempla 46 perguntas, formuladas de acordo com o corpo doutrinal da “Relatio Synodi”, perguntas orientadas a colher sugestões e experiências pastorais em curso e a questionar a maior ou menor qualidade da pastoral familiar realizada. As Igrejas locais têm, assim, nova oportunidade para fazer uma leitura crítica da sua praxis ao nível da pastoral Familiar, à luz das questões formuladas no documento  Relatio Synodi e sugerir mais uma vez o seu contributo. É um «um ano para amadurecer, com verdadeiro discernimento espiritual, as ideias propostas e encontrar soluções concretas para muitas dificuldades e numerosos desafios que as famílias devem enfrentar» (Papa Francisco, Discurso conclusivo, 18 de outubro de 2014). Até 2015, vai decorrer um trabalho de “oração, reflexão e discussão fraterna” para preparar o próximo Sínodo dos Bispos, a fim de “caminhar rumo à maturidade daquilo que é preciso a todas as Igrejas”. As Conferências Episcopais são convidadas a escolher as modalidades adequadas para realizar esta tarefa, comprometendo todos os componentes das Igrejas particulares: instituições académicas, organizações, agregações laicais e outras instâncias eclesiais.

0 Comentários:

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More