17 de janeiro de 2015

55 anos


Orientada a colmatar um vazio de formação e informação no âmbito familiar, especialmente naquelas famílias que dispunham de poucos recursos monetários para se valorizarem, esta publicação surgiu há 55 anos. 
Uma certeza, que infelizmente tem hoje uma enorme actualidade, movia o Pe Brás a tudo fazer para prevenir maiores danos na instituição familiar: «A grandeza ou a decadência da família acompanham sempre a grandeza ou a decadência dos povos» (Pe Brás).
Olhando o cenário actual a partir desta chave de leitura, encontramos a razão de muitos males que povoam hoje as nossas sociedades.
A “decadência” da família não é, certamente, factor único, a precipitar a decadência dos povos, mas tem nesta conjuntura um papel preponderante. 
Com a ‘decadência’ da instituição familiar, vulnerabilizaram-se as referências culturais, axiológicas e religiosas; os vínculos e os espaços afectivos de pertença e suporte ao crescimento sólido e harmonioso da pessoa humana; mas também os horizontes de sentido e o sentido de Deus, que garantiam e potenciavam a humanização da pessoa, o sentido da sua dignidade e sacralidade invioláveis.
A recuperação desta ‘decadência’, a todos envolve, mas a instituição familiar, assume aqui um papel determinante. É urgente valorizá-la e enaltecê-la, como fez o Papa que ousou “destacar o papel central da família unida, fecunda e indissolúvel para a formação das novas gerações. Sem esta solidez, acaba-se por construir sobre areia, com as graves consequências sociais”.
Valorizar, reconhecer e apoiar a família na sua difícil, mas nobre e necessária tarefa de pais e educadores, é urgente. Educar e formar é a arte das artes, da qual depende o bem da sociedade, como dizia o Pe Brás: “Educar bem os filhos é a arte das artes, da qual depende o futuro da sociedade e da Igreja”.
Ao longo destes 55 anos, o Jornal da Família, atento às constantes transformações, tem procurado manter-se fiel à linha editorial traçada, e esse, continua a ser hoje o seu propósito, contando sempre com o valioso e imprescindível contributo dos seus assinantes e colaboradores.


Vieira Maria





0 Comentários:

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More