5 de novembro de 2014

"Aprender a rezar é como aprender a falar"

Que importância tem a oração em família? É fácil levar as crianças a participar? A família Power garante que sim e partilha, no blogue “Uma Família Católica”, a sua experiência de “Igreja Doméstica”.

por Ângela Roque

“Se rezar não vier já de casa é muito difícil conseguir levar as crianças à oração com 45 minutos de catequese por semana”. É a opinião de Teresa Power, professora e catequista, que há cerca de um ano decidiu partilhar através do blogue “Uma Família Católica” a forma como a fé é vivida em sua casa. 

“Aprender a rezar é como aprender a falar”, diz, “por isso o nosso trabalho tem sido sobretudo com as famílias. Quando a família, o pai e a mãe, convertem o seu coração, o trabalho mais difícil está feito”. 

Teresa é mãe de seis filhos, “mais um, que já está no céu”, como faz sempre questão de dizer. Casou com Niall Power, irlandês, que trabalha na Universidade de Aveiro. Vivem em Mogofores, Anadia, onde animam a paróquia salesiana de Nossa Senhora Auxiliadora. Conheceram-se quando ambos eram estudantes Erasmus na Alemanha, e foi a oração do terço que os aproximou. Rezavam-no juntos todos os dias, primeiro como amigos, depois como namorados, agora em família, com os filhos. 

Em sua casa encontra-se um canto de oração. “É um espaço que todos sabem é central na nossa sala de estar”, explica. E é lá que se reúnem a seguir ao jantar: “Temos um momento em conjunto em que todos agradecem por alguma coisa do dia. Cantamos, dançamos, nós tocamos guitarra, eles fazem barulho. É um momento de louvor”. Depois de deitarem os mais novos rezam o terço e meditam com os mais crescidos nas leituras do dia. 

A ideia de criar o blogue surgiu porque Teresa e Niall sempre sentiram necessidade de apoio para a vida de oração e para a vida em família. Hoje já se encontra na internet “muita informação e muita teoria”, mas “faltava este testemunho, de família a família, como é que nós, na nossa casa, com os nossos filhos, com as nossas dificuldades, problemas e alegrias, vivemos a nossa vida de fé, no dia-a-dia". 

O blogue é actualizado diariamente com textos que reflectem sobre as coisas simples ou complicadas do quotidiano e é seguido por famílias de vários pontos do país, e também do Brasil e da Argentina. 

“Temos tido famílias que viviam muito afastadas de Deus e que se converteram, que vivem uma vida de fé com oração diária. Outras que viviam uma fé dentro da Igreja, mas uma fé frouxa, e que agora estão activas e empenhadas. Temos tido pessoas que nunca rezaram em família e que agora vão começar, já com filhos adolescentes”. O que leva Teresa a dizer: “temos assistido a milagres diários da forma como Deus tem actuado junto das famílias”. 

“Os Mistérios da Fé” e as “Famílias de Caná” 
Teresa Power sempre achou que fazia falta ser concreto quando se pede às famílias para rezarem: “Diz-se que é preciso rezar, mas as pessoas querem saber: Rezar o quê? Rezar como?”. Com base no que faz a sua própria família, avançou com o projecto “Famílias de Caná” que propõe às famílias um itinerário de fé: Consagração a Nossa Senhora, respeito pelos sacramentos, construção de canto de oração em casa, oração diária do terço, meditação sobre as leituras do dia e serviço aos outros. 

“Trabalhamos sempre a família como um todo, não é um movimento de casais, é de vivência familiar. O que nós procuramos com as Famílias de Caná é mesmo a conversão da família", explica. 

Mas será que rezar faz falta às famílias? Teresa Power diz que é essencial para uma família cristã. “Não consigo imaginar como é que podemos crescer se não estamos, em família, abertos à vida de Deus. Se não rezamos, se não chamamos Deus para o nosso interior, como é que ele pode agir e actuar em nós?” 

Como catequista foi também percebendo que “as crianças católicas não têm conhecimento das histórias da Bíblia”, o que considera “uma grande falha”. “A Palavra de Deus é tão rica, temos tantas histórias para contar, e andamos sempre à volta do Capuchinho Vermelho, da Violeta, ou do que for”, lamenta. Partindo, mais uma vez, da experiência pessoal – porque os seus filhos “adoram as histórias da Bíblia” – escreveu “Os Mistérios da Fé", um livro já com três volumes publicados pelas edições salesianas. 

A entrevista a Teresa Power vai ser transmitida este domingo à noite, na Renascença, no programa “Princípio e Fim”, onde vão estar em destaque novos espaços e projectos de oração.



0 Comentários:

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More