30 de julho de 2011

Os Homens e as Mulheres de amanhã!...

Quando nos dispomos a assinalar as funções da Educação reconhecemos que ela está chamada a influir na Sociedade e na Família, de tal modo que o mundo e a família que transmitiremos aos vindouros, vão ser o produto, o resultado dos investimentos da educação do presente. Não podemos esquecer que as crianças de hoje vão ser os pais, os esposos e os cidadãos de amanhã. 
A educação é o veículo, a correia de transmissão, através dos quais vão passando de umas gerações a outras os hábitos, as ideias, as crenças, os temores, as esperanças, isto é, uma pesada bagagem cultural que se vai constituir em património colectivo. 
Por tudo isto, o tema “ educação” deve consistir numa previsão de futuro, algo que deveria ser para os políticos e governantes a primordial preocupação, o alicerce do progresso e do desenvolvimento sustentado dos povos. 

Normalmente, os povos mais desenvolvidos em educação, são também os mais desenvolvidos economicamente e vice-versa. Um ponto de vista defendido por muitas famílias que consideram a educação a melhor herança que actualmente podem deixar aos filhos, acreditando que é o único património que pode garantir-lhes um mais confortável e estável status social. 
Tempos houve em que se dava à educação uma função individualista, considerando-a como um processo de aperfeiçoamento da pessoa. Mas a partir da era moderna começa a reconhecer-se à educação uma dimensão eminentemente social. 
Este contributo é devido especialmente a pedagogos sociologistas, tais como Durkhein, Dewey e muitos outros, que passaram a falar da função socializadora da educação, salientando que a educação não molda o homem em abstracto, mas sim em concreto, para uma determinada sociedade. 

E se de passagem nos fixarmos um pouco na história, dar-nos-emos conta de que as grandes mudanças sociais tiveram a sua origem nas ideias revolucionárias de pensadores e educadores. Mas ao mesmo tempo, reconhecemos que se algum sentido tem a educação, deve ser o do aperfeiçoamento dos indivíduos, porque é através do seu aperfeiçoamento que se chega ao melhoramento dos grupos a que estes pertencem. 

Este objectivo foi a grande aspiração de grandes idealistas, que defendiam e sonhavam com uma educação integral, motivadora de valores reais, feitos vida na vida de muitos; valores que dignificam e engrandecem! Que visam sempre o mais alto e o mais além! A Verdade, o Bem, o Belo... O que vale a pena!... 

A juventude foi, é e será sempre a idade dos grandes ideais! Por isso vale a pena acreditar, investir a sério, na sua educação! Aos pais e educadores cabe a tarefa de ir à frente, de educar sobretudo com o exemplo, não se demitindo da sua autoridade e responsabilidade!... 

Apesar da crise generalizada que nos envolve, continuamos a acreditar e a acalentar a esperança de um mundo melhor, como todos desejamos! Continuamos a acreditar que isso é possível, como possível é uma realidade educativa com estas pretensões, uma vez que são elas, precisamente, a razão da sua existência!...

Por Helena H. Marques

0 Comentários:

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More