1 de agosto de 2010

Era o ano de 1925

O sonho acolhido e acalentado desde tenra idade, tornava-se então realidade – o Jovem Joaquim, depois de tanto empenho, lutas, canseiras, alegrias, ameaças, agora é ordenado Padre a 25 de Julho de 1925.
"Ser Padre, nem que fosse ao menos por um ano" – uma das suas expressões, reveladora do seu grande e nobre desejo, da sua grande alegria e paixão, do seu caminho de realização e de santificação: ser padre.
Profundamente identificado com a sua vocação e respectiva missão, a sua vida e as suas obras, revelam-nos que a vocação sacerdotal, se for 'tecida' na entrega quotidiana, na oração, na dedicação incondicional aos outros, na missão de pastor e sacerdote, numa dinâmica que envolve e dinamiza a pessoa toda e tudo na pessoa é, sem dúvida alguma, um caminho de cão humana, mesmo que as dificuldades se façam companheiras habituais do caminho.
Pois é na força d'Aquele que chama e envia, que tudo se entrega e integra, que tudo se oferece e canaliza para o dinamismo da redenção do mundo e da fecundidade de vida, pessoal e comunitária.
Foi assim que o Pe Brás viveu. Um testemunho vivo para quantos desejam viver e realizar um ideal com fidelidade e paixão.
O Jornal da Família, que celebra este ano os 50 anos de existência, presta homenagem ao seu Fundador por ocasião do seu aniversário sacerdotal (85 anos) e convida todos os Assinantes e
Leitores a conhecerem melhor a sua Vida, visitando, em Casegas a sua Casa Museu, que celebra a 20 de Julho o seu terceiro ano de existência.

por Conceição Vieira

0 Comentários:

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More