3 de dezembro de 2008

A crise ou em busca da confiança perdida

A vida é exercício contínuo de confiança.
Vivemos a antecipar o futuro. Vivemos a contar com…, connosco, com os outros, com as contingências históricas, as instituições e mutações sociais que iremos encontrar. O mundo é instável, perigoso, ameaçador.
Acreditamos que o podemos dominar, na nossa capacidade criativa e poder para enfrentar as circunstâncias adversas, as orientar e sujeitar aos nossos objectivos e encontrar formas de adaptação e superação do que não podemos mudar.
A vida social é possível porque confiamos uns nos outros, porque as instituições que nos regem, o Estado, a escola, o sistema judicial, os bancos, os transportes, o comércio, a polícia nos garantem segurança. A confiança pode vacilar, porque algum dos pilares de apoio falhou. A falta de confiança pode espalhar-se por factores objectivos e ampliar-se pelos mecanismos irracionais de contágio do medo e gerar o pânico que paralisa e aprofunda a crise. (ler mais)


Por Octávio Gil Morgadinho

1 Comentários:

Relembrem-se do abaixo-assinado contra a intenção de declarar o aborto como um Direito Humano, pela ONU, superior ao Direito à Vida.
Fica novamente aqui o LINK.


http://www.c-fam.org/publications/id.101/default.asp

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More